Nesta quarta-feira, 30, o site Mirror UK divulgou notícia que Leigh-Anne e Jade estão sendo cotados para um prêmio no Ethnicity Awards deste ano, depois de mostrar apoio ao movimento Black Lives Matter. Veja a matéria traduzida completa.

As cantoras foram cotadas para um prêmio no 2020 Ethnicity Awards pela forma como apoiaram o movimento após a morte de George Floyd.

Ambas falaram sobre suas próprias experiências com horríveis abusos racistas e juraram usar suas plataformas para ajudar e educar outras pessoas.

Eles estão cotados para o Prêmio de Personalidade Inspiradora após sua participação nos protestos Black Lives Matter em Londres no início deste ano.

A lista de candidatos para o Ethnicity Awards anual, realizado em associação com o parceiro oficial HSBC UK, foi anunciada com uma série de celebridades inspiradoras e figuras públicas liderando as indicações.

Os prêmios, que estão voltando este ano contra o pano de fundo do movimento internacional Black Lives Matter, irão reconhecer indivíduos com um histórico de trabalho para promover a igualdade e oportunidades para grupos étnicos negros, asiáticos e minorias na sociedade.

Elas foram amplamente elogiadas por ativistas, incluindo a fundadora do HSBC UK Ethnicity Awards, Sarah Garrett MBE, que descreveu a dupla como “modelos inspiradores“.

Os músicos Jorja Smith, Beverley Knight e Mabel também foram indicados para receber elogios, assim como a personalidade da mídia Jameela Jamil, o apresentador de TV Reggie Yates, a atriz Nathalie Emmanuel e a ativista da igualdade Amal Fashanu. Fashanu, ao lado de seu pai, John, é o fundador da Justin Fashanu Foundation e da marca de roupas Black Heart, que promove o ativismo por meio da moda.

O craque do Manchester United Marcus Rashford e o herói do Liverpool FC, Trent Alexander-Arnold, juntam nomes como Lewis Hamilton e Anthony Joshua na disputa pelo prêmio de Personalidade Esportiva do Ano. As superestrelas do futebol estão envolvidas em iniciativas de caridade para apoiar os jovens, com Rashford sendo amplamente elogiado por lançar uma campanha de alto perfil para garantir merenda escolar gratuita para crianças na Inglaterra durante a pandemia do coronavírus.

O prêmio Media Moment reconhece eventos como o recente enredo de racismo de Coronation Street , o noticiário da BBC Naga Munchetty sobre o racismo, que viu 150 emissoras negras, asiáticas e de minorias étnicas apoiá-la, e The Talk do Canal 4 – em que o famoso Black Britânicos, incluindo Tinie Tempah, compartilharam suas experiências emocionais de racismo.

Marcas que estão defendendo mudanças, incluindo Nike, Ben & Jerry’s, John Lewis e Trapstar, estão entre as selecionadas para o prêmio Impacto da Marca.

Várias instituições de caridade também foram indicadas para prêmios, incluindo Black Minds Matter UK, Refugee Council e Show Racism the Red Card.

A fundadora do Ethnicity Awards, Sarah Garrett MBE, disse: “Jade e Leigh-Anne são modelos inspiradoras e merecem muito suas indicações. Elas se levantaram e falaram em nome de comunidades negras e de minorias étnicas durante um período de turbulência racial .”

“Todas as celebridades, figuras públicas, empresas e marcas na lista de pré-selecionados usaram suas plataformas para iluminar as questões enfrentadas pelas comunidades marginalizadas no que foi um ano crucial e comovente até agora. Todos os indicados fizeram algo importante trabalham para promover a igualdade e promover oportunidades para todos no contexto do movimento internacional Black Lives Matter e são incrivelmente merecedores deste reconhecimento. “

Leigh-Anne e Jade estão indicadas a categoria “Personalidade Inspiradora”

Fonte: Mirror Uk | Tradução: Leigh-Anne Pinnock Brasil



Leigh-Anne Pinnock tinha “medo de ofender as pessoas” ao falar sobre racismo antes de seu documentário.

Leigh-Anne Pinnock falou sobre a importância de “conversas incômodas” sobre raça antes de seu próximo documentário. A estrela da Little Mix, 28, diz que foi angustiante falar publicamente sobre suas experiências, primeiro no Instagram e mais recentemente no The Talk, mas que essas conversas são necessárias para que a mudança ocorra.

Ela disse ao Metro.co.uk: “Eu estava muito nervosa, com muito medo de lançar o vídeo do Instagram porque eu o segurei por muito tempo. Tive certo medo de ofender as pessoas ou dizer a coisa errada. Mas, no fundo, se não falarmos sobre essas coisas, se não tivermos essas conversas incômodas, como a mudança vai acontecer? Esse tipo de conversa deveria ser uma segunda natureza, não deve ser difícil falar sobre raça.”

Ela se abriu sobre a sensação de que tinha que trabalhar “dez vezes mais” por ser a garota negra do grupo, e se preocupou em ser a “menos favorita” dos fãs. Leigh-Anne disse que os fãs a verão falar mais sobre suas próprias experiências no documentário da BBC, Leigh-Anne: Colourism & Race. 

“É difícil, sinto que tenho guardado tanto por tanto tempo. Vocês me verão sendo muito aberta e honesta, apenas falando sobre o problema em questão”, revelou ela

“O racismo é tão comum no Reino Unido. Eu fico muito feliz por estar começando a explorá-lo, conscientizando sobre. Estou ansiosa para que o documentário seja lançado.” 

A cantora diz que está, definitivamente, sentindo uma mudança nas atitudes ao falar sobre questões de racismo, com mais pessoas abertas a enfim conversarem sobre desigualdade. Ela explicou: ‘É um problema tão grande, deveria ser algo discutido em todo o mundo’. 

“O mais incrível é que agora as pessoas estão querendo ouvir, elas querem entender e ter essas conversas. É bom que as coisas finalmente estejam começando a mudar, eu acho.” 

Estando na Little Mix, um dos maiores grupos atuais, ela, Jesy Nelson, Perrie Edwards e Jade Thirlwall nunca foram daquelas que se intimidaram ao lidar com as questões mais complicadas.

Leigh-Anne acrescenta: “Eu acho que quando você olha para a Little Mix você pensa em pop, cores, você pensa em diversão – você realmente não acha que existem coisas reais pelas quais todas nós passamos, mas todas nós passamos por situações difíceis e temos muito a dizer.”

“Mesmo quando começamos, sempre dissemos que queríamos fazer música para inspirar as pessoas, esse era o nosso principal objetivo. Nós começamos assim.” 

“Todas nós passamos por tanta coisa nos últimos nove anos e eu acho incrível como temos sido tão abertas sobre isso. Todas nós tivemos nossas próprias jornadas e, no fim, só queremos ajudar as pessoas.”’

A pandemia fez com que a Little Mix interrompesse abruptamente a programação da turnê devido ao encerramento forçado dos eventos ao vivo. Entretanto, as meninas farão um show especial para o Meerkat Music na sexta-feira, dia 28.

 Falando sobre o show, Leigh disse: “Mal podemos esperar. Poder tocar juntas novamente é uma sensação tão incrível, sentimos muita falta. Mesmo que seja só para nos vermos. É o que mais gostamos de fazer, nós amamos nos apresentar, então chegou na hora certa.”

Jade acrescentou: “Nos sentimos horríveis pela turnê de verão ter sido cancelada, odiamos decepcionar os fãs e, obviamente, também ficamos mal porque é o que mais gostamos de fazer. Então, quando surgiu a ideia de fazer o show do Meerkat Music, pensamos ‘Sim, vamos fazer isso! Vamos dar algo aos fãs’”. 

As meninas sentiram falta de estar no palco juntas, mas usarão o show para tocar músicas com os fãs. Perrie revelou: “Não ser capaz de se apresentar é a pior coisa de todas, nós literalmente vivemos para isso – é o que fazemos, então sentimos falta e mal podemos esperar para voltar à turnê. Mas, ao mesmo tempo, isto é para nos ajudar e para os fãs nos verem fazer coisas novas também”.

Tradução: Leigh-Anne Pinnock Brasil | Fonte: METRO UK



Depois de rumores acontecerem alguns meses atrás finalmente tivemos a confirmação do documentário da BBC Three com a presença da Leigh-Anne.

Confira a matéria traduzida contando um pouco sobre o documentário:

Leigh-Anne: Colourism & Race verá a estrela de Little Mix explorar suas próprias experiências pessoais de racismo e colorismo como uma mulher negra no Reino Unido.

O documentário de uma hora de duração também abordará as questões raciais mais amplas que o país está enfrentando e iluminará como Leigh-Anne, membro de um dos maiores grupos femininos do mundo, passou a acreditar que vivemos uma sociedade profundamente racista. Quanto mais ela aprende sobre o racismo sistêmico britânico, mais ela sente que deve fazer algo. Mas o quê e como?

Leigh-Anne passou por racismo durante sua vida e está em uma verdadeira encruzilhada. Ela está ciente de que ter a pele mais clara e ser uma celebridade significa que às vezes ela está em uma posição mais privilegiada do que outras. Ela quer explorar isso e usar sua plataforma para debater essas questões também.

As câmeras terão acesso íntimo aos bastidores enquanto ela trabalha em questões e questões importantes sobre raça e racismo que moldarão as futuras gerações em todo o mundo.

O documentário a acompanhará enquanto ela conhece pessoas que a ajudarão a resolver essas grandes questões. Ela falará com sua família, amigos e buscará conselhos de seus modelos. As câmeras a verão nos bastidores com Little Mix e em casa enquanto ela processa o que está aprendendo e chega a uma conclusão sobre o que fazer.

Falando sobre o projeto, Leigh-Anne disse “Eu quero fazer esse filme porque sempre fui apaixonada pelos direitos dos negros. As conversas sobre racismo e colorismo são algo que tenho constantemente com meu namorado e minha família e, como tenho uma plataforma, quero usá-la para levar essa conversa a um público mais amplo e defender minha comunidade negra e parda.”

Acrescentando “O racismo sistêmico é complexo; ao fazer este documentário, quero aprender a melhor forma de emprestar minha voz ao debate para que os jovens que me admiram não tenham que enfrentar o que eu e minha geração tivemos de enfrentar. ”

O documentário está sendo produzido por Kandise Abiola e será a estreia do diretor e amiga de infância de Leigh-Anne, Tash Gaunt.

A controladora da BBC Three, Fiona Campbell, disse: “Estamos constantemente tendo conversas sobre raça e discriminação e como podemos cobri-las na BBC Three de uma forma que pode contribuir para fazer mudanças positivas e permanentes.”

“Este é um filme que encomendamos há alguns meses e o início das filmagens com Leigh-Anne coincidiu com a trágica morte de George Floyd e os protestos e debates atuais que trouxeram essas questões a um foco mais nítido para ela, para a Grã-Bretanha e o mundo.”

“Ao trabalhar com talentos de alto perfil, como Leigh-Anne, e outras pessoas importantes que ela conhecerá durante este processo, esperamos que as conversas honestas que este filme apresentará tenham o poder de mudar atitudes, oferecer uma visão e ajudar a prevenir o racismo em nossa sociedade . ”

E Richard Bond, Diretor Administrativo da Dragonfly Film & TV que está fazendo o filme, acrescentou: “Este é um momento histórico para os direitos civis, e estamos honrados em trabalhar com uma figura de alto perfil como Leigh-Anne em um filme que é tão importante para ela pessoalmente, e que esperançosamente ajudará a destacar e combater a injustiça do racismo sistêmico no Reino Unido e ao redor do mundo. ”

Matéria original: italktelly | Tradução: Equipe Leigh-Anne Pinnock Brasil



Nesta sexta-feira 31, Leigh-Anne foi vista ensaiando para a apresentação virtual de Little Mix para UNcancelled organizado pela Meerkat Music.

Ensaiando na Knebworth House de Hertfordshire, local onde acontece no dia 21 de agosto, ás 16h (horário de Brasília). De acordo com a DailyMail, Little Mix apresentará oito músicas no total, com seis disponíveis para os telespectadores e mais duas músicas exclusivamente disponíveis para aqueles com uma conta comparethemarket.com. 

A apresentação estará disponível nas plataformas YouTube, Facebook e Twitter da Meerkat Music, onde também as meninas serão entrevistadas pelos suricatos Aleksandr e Sergei.

Veja as fotos em nossa galeria:

Fonte: DailyMail | Tradução: Leigh-Anne Pinnock Brasil



layout criado por dculeigh e desenvolvido por Lannie d.
todos os direitos reservados a | Host por flaunt
temos [ ] seashell online!